segunda-feira, 4 de junho de 2012

Silenciar ou Falar na Hora Errada

silenciar ou falar em hora errada. Ao cristão, quanto vale ter e manifestar uma opinião? Eclesiastes 3 nos manda falar e também calar, porque ficar calado é tão importante quanto falar. Mas, cada uma dessas duas ações possui seu momento ideal e são extremamente eficazes quando aplicadas corretamente. Saber usar o tom, momento e direção corretamente para opinar são características de sábios. Muitas vezes testemunhei pessoas irritadas, em fila de banco, a reclamar com o funcionário operador de caixa pela demora. O pobre atendente não é capaz de resolver o problema. Esse modo de enfrentar a situação dificilmente desemboca em solução. A pessoa com autoridade para solucionar é o gerente da agência e é para ele que o cliente incomodado deveria manifestar o descontentamento. Certa vez, ouvi um depoimento sobre determinado evangelista, que em uma viagem de trem por acaso encontrou-se com um ateu. Eles conversaram bastante, até que entrou o assunto Evolução Versus Criação e iniciou-se um debate. Ele seguia o translado acompanhado de um jovem, que ficou bastante admirado ao perceber que o evangelista não apresentava diversos argumentos sobre o tema que dominava muito bem. Quando saltaram do trem, o jovem lhe perguntou a razão para não apresentar tudo o que sabia. E ouviu: "Meu amigo, meu interesse não era ganhar o debate, mas a alma daquela pessoa para Jesus. No momento ideal o informarei." A música possui sete notas. Para que seja possível haver melodia e harmonia musicais, entre as notas são postas o silêncio, chamado de tempo. Assim como na música, em nosso cotidiano existe tempo para falar e tempo para manter-se calado, cada qual em seu momento para que o resultado final seja excelente. Mas muitas vezes o capricho que temos para manter nossa imagem em posição de superioridade, nos tornamos incômodos e pedras de tropeços. Destruímos os momentos que nos são postos para silenciar. Estragamos os planos de instrumentalização que Deus traçou em nossas vidas porque abrimos a boca fora do momento oportuno. Nem sempre é momento para calar, assim como nem sempre é preciso emitir o parecer. Quantas vezes nos adiantamos e o que pensamos é apenas presunção do saber e falamos equivocadamente? E quantas vezes somos guiados pela opinião pública, que não é o conceito de Deus para o que pensamos de maneira coletiva, e nos silenciamos quando precisávamos manifestar o conteúdo da Palavra de Deus exatamente como ela é? A opinião cristã não será ouvida se dita em momento que o correto seria calar. O evangelista fora de hora será visto como alguém chato, inconveniente, inconsequente. Em outro extremo, também de nada valerá ter a Palavra de Deus no coração, guardá-la para si e apenas falar sobre outras coisas conformadas com as ideias que estão em curso neste mundo. Enfim, a lâmpada não brilha eficazmente debaixo do sol, e o sal deve ir à panela de acordo com a recomendação da receita culinária. É preciso orar e pedir sabedoria ao Senhor para viver em nossa geração como sal e luz apropriados às necessidades, salgando e iluminando de maneira exemplar. E.A.G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário: