quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

PERDIDOS NA MONTANHA



      

Ouvindo uma programação de rádio, o pregador disse que muitas igrejas principalmente as neopentecostais, só querem pregar nos grandes centros, e que sua denominação era uma das poucas que ainda se ocupa com missões. 

Em parte eu concordei com ele. Digo em parte porque tenho observado por experiência própria, que mesmo entre as denominações conhecidas como centenárias já não se investe como investia há alguns anos atrás na obra missionária, muitas delas se encontram estagnadas e, são poucos os que se predispõem em levar a Palavra de Deus nos lugares pequenos onde não se tem nenhum retorno financeiro.

Falam muito em missões, carnês de contribuições etc. Entretanto pouco se tem feito em prol da obra missionária. Missões virou objeto de marketing em muitas denominações. O real investimento é muito pequeno. 

Contudo não são todas as igrejas que se encontram nestas condições; existem remanescentes que ainda visam à busca por almas perdidas.
Devemos ir aos povoados, e não precisa ir muito longe, pois bem pertinho de você, aqui em nosso país existem lugarejos que ainda não foram alcançados pelas boas novas de salvação.


No primeiro dia do ano de 2015, fomos impulsionados pelo Espirito Santo para ir visitar um povoado situado entre as montanhas próximo de Nazaré Paulista-SP, o nome do lugar é chamado de “Fazendinha”.
Ali vimos o quanto ainda precisamos fazer na obra missionária em nosso estado, existem ali muitas vidas morando nos sítios, chácaras, fazendas e, pequenas vilas onde não existe sequer uma igreja; as almas estão carentes de ouvir falar de Jesus.


Nosso objetivo era visitar uma família que estamos discipulando há algum tempo. Não sabemos como, mas nos perdemos na estrada que nos levava até lá. Ficamos perdidos, enquanto isto o Senhor Jesus, nos conduzia nas estradas estreitas, poeirentas e, cheias de curvas por entre montanhas. Vimos o quanto á seara é grande e quão poucos são os ceifeiros.


Depois de estarmos perdidos por quase cinco horas, Jesus nos comovia vendo a necessidade do povo daquele lugar esquecido das grandes igrejas, até que chegamos ao povoado chamado “Fazendinha”, onde reforçamos a fé dos novos convertidos. O próximo passo será estabelecer uma igreja neste lugar. Ore por nós, nosso objetivo é ir aos lugares não alcançados.

Já estamos estabelecidos na região Bragantina, não nos grandes centros, mas nos povoados. A casa Amarela no Bairro da Represa em Nazaré Paulista-SP é nossa Base Missionária. Neste lugar dezenas de pessoas tem entregado sua vida a Jesus.

E como é que a mensagem será anunciada, se não forem enviados mensageiros? As Escrituras Sagradas dizem: “Como é bonito ver os mensageiros trazendo boas notícias!” Romanos 10:15.


Bom seria se fossemos enviados por nossa igreja. Entretanto aprouve a Deus ser enviado, mantido e, cuidado diretamente por Ele.
Fazemos parte da grande comissão que é esta: “Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando esses seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo- Mateus 28:19”.


Estamos atentos á visão do reino de Deus, dedicados na expansão do seu reino aqui na terra.

Um comentário:

  1. Irmão José Costa, a paz do Senhor. Fui abençoado, hoje, com um comentário seu no Blog Olhar Cristão. Também notei que o Pastor dedicou parte de seu precioso tempo para compartilhar um post seu na Associação de Blogueiros Cristãos. Muito obrigado.

    Pastor José, assim como está descrito na sua viagem à Fazendinha, tive a oportunidade de revisitar, na semana passada, os caminhos da minha infância de casa para a escola. Cinco quilômetros de estrada de chão. Ainda pude ver as mesmas cachoeiras, figueiras e saboneteiras, sumaúmas e coramades e lixas. Canelas de velho, onde pousavam as cigarras e a lajinha onde tomava banho no rio voltando da escola, ao custo de umas chineladas de minha mãe. Como não estava na estação do frio, não pude sentir o suave perfume dos assa-peixes de flores roxas nem as flores dos Ipês-amarelo.

    A Igreja Assembleia de Deus onde congreguei aos meus 21 anos (hoje tenho 59) ainda estava lá, mas bonita, cheia e de prédio novo. Na praça, um carro de som anunciava a visita daquele pastor que esteve no programa do Ratinho falando sobre o relacionamento homem-mulher no casamento.

    Visitei minha antiga professora de Português (Presidente da APAE) e meu professor de Matemática (católico roxo), que na ocasião, soube que eu já pastoreei. Parece que foi ontem, mas ele fez 86 anos dia 08 de janeiro.

    Pastor José Costa, quero agradecer a Deus pelo seu blog e pelo talento que ele deu para meu Irmão de colocar em palavras o som da alma. Com um folheto nós podíamos alcançar uma alma; hoje é tanta gente que Deus preparou a Internet. Com a ajuda da busca do Google, nossos textos têm acesso tanto aos apartamentos dos mais altos prédios quanto a alguém que mora na favela de qualquer periferia, não só no Brasil, como em qualquer lugar do mundo onde tenha alguém que leia o Português. É só orar, consagrar o texto e deixá-lo à disposição do Espírito Santo.

    Força irmão José, a internet precisa de conteúdo cristão que tenha o bom cheiro de Cristo. Observe mais, sinta mais a voz do Espírito para escrever mais. Um ano de 2015 mais abençoado para você e sua família.Para sua meditação, Romanos 12; 1-2.

    Abraço do Irmão João Cruzué


    .

    ResponderExcluir

Faça seu comentário: